O que é um ciclo?  É um espaço de tempo durante o qual ocorre e se completa, com regularidade, um fenômeno ou um fato, ou uma sequência de fenômenos ou fatos, ou ainda do latim cyclus, um ciclo é um certo período de tempo que, uma vez finalizado, volta ao início. Também se trata da sequência de etapas que atravessa um sucedimento de características periódicas e do grupo de fenómenos que se repetem segundo uma determinada ordem.

Acho que a nossa vida é feita de ciclos, e por coincidência ou não ou meus se iniciam ou se encerram neste período do ano, entre Agosto e Outubro.

O meu ciclo chamado casamento se encerrou, foram 15 anos entre namoro e casamento propriamente dito, muitas coisas vividas, mas chegou numa fase de encerramento onde cada um tem objetivos e planos de vida diferentes, então o ciclo comum se encerra e um novo surge. Motivos, não vem ao caso. Briga não houve, por isso um encerramento de ciclo, pois foi um conjunto de fenômenos e sequência de fatos que ao longo de um determinado tempo fez com que o relacionamento a dois acabasse.

Então não posso apagar ou reescrever sobre momentos descritos em determinadas fases, principalmente sobre sentimentos e sensações durante o tratamento, e o quanto ele esteve presente ou foi companheiro em momentos difíceis. No entanto a vida segue.

Fui a São Paulo no início de Setembro fazer uma reavaliação sobre o procedimento cirúrgico necessário para corrigir algumas coisas já descritas anteriormente, e foi surpresa para mim e para equipe médica como meu corpo reagiu e evoluiu nestes últimos 2 anos (outro ciclo). Explicações lógicas e técnicas podem não ser tão precisas, mas podem existir então prefiro ficar com a opção da Fé, que pode mudar muitas coisas. Esse é até um tema complicado de falar por envolver religião e cada um tem suas crenças, eu particularmente sou católica. Digo isso porque mudou radicalmente o procedimento cirúrgico proposto. Como uma comparação simples, há dois anos seria assim:

  • Cirurgia de grande porte
  • Tempo de cirurgia 08 horas do 1° procedimento e de 02 horas do 2° procedimento
  • Necessidade de colocação de matriz dérmica em grande área a mama esquerda
  • Necessidade de substituir prótese por motivo de contratura
  • Necessidade de remover coleção encapsulada
  • Colocação de 6 drenos após procedimento
  • Tempo de recuperação inicial em São Paulo de 25 dias
  • Tempo de restrições de mobilidade de 02 meses
  • Tempo de intervalo entre procedimentos 03 meses
  • Necessidade de fazer fisioterapia e drenagem linfática no pôs operatório.
  • Necessidade de refazer todo conjunto mamilo / aréola
  • Necessidade de enxerto de gordura

 

Após muita análise e exames, e mudanças do organismo passou a ser o seguinte:

  • Cirurgia de pequeno porte e mais superficial
  • Tempo de cirurgia 02 horas
  • Único procedimento
  • Sem necessidade de matriz dérmica, talvez um pequeno retraço
  • Sem necessidade de substituição de próteses
  • Sem necessidade de colocação de drenos
  • Tempo de recuperação inicial em São Paulo de 01 semana
  • Sem restrições de mobilidade ou atividades
  • Necessidade de enxerto de gordura apenas em 01 mama
  • Refazer parcialmente o conjunto mamilo/ aréola

 

Então fiquei super feliz com essa novidade e mudança e vou me organizar para fazer essa cirurgia e depois disso poder me dedicar a outros planos e projetos, entre eles a realizar meu sonho de ser mãe, pois isso para mim está acima de tudo ou mesmo de qualquer relacionamento. Meu próprio corpo me mostrou que como as coisas podem mudar e ser mais favoráveis e surpreendentes.

 

Uma das coisas que mais mexeu comigo quando recebi o diagnostico de câncer foi exatamente isso, pois num intervalo de dias passa de tudo na sua cabeça e você de repente começa a ver a vida com outros olhos. Eu sempre quis ser mãe e muitos que convivem comigo e me conhecem sabem o quando sou maternal e da importância. Então quando se recebe certos diagnósticos surgem inúmeras duvidas sobre tratamentos, procedimentos e suas consequências. Na época não pude fazer congelamento de óvulos pelo tipo de câncer e porque para isso precisava haver uma estimulação hormonal, e meu inimigo se alimentava desse hormônio. Então fiz os tratamentos, passei anos tomando uma medicação que simula uma menopausa e agora que estou “ liberada” de todos os tratamentos e pelos médicos vou em busca disso.

Isso não quer dizer que não tente me relacionar com outras pessoas, mas isso não é o mais importante, ate porque aproveitei a minha ida a São Paulo para pesquisar sobre clinicas de fertilização in vitro, pois eu, Mirella, não preciso estar casada ou de um companheiro para ser mãe. Claro que este seria um cenário perfeito, você ter uma família completa, mas isso só o tempo vai dizer.

Certos diagnósticos e tratamento mudam radicalmente seu estilo de vida, e isso aconteceu comigo, antes eu vivia para  o trabalho e para os outros, hoje eu sou a minha prioridade, me permito mais tempo, e limito outras coisas. Considerando também o momento do próprio país dos últimos anos repensei alguns projetos e ideias de negocio e preciso colocar algumas coisas em andamento, e abrir mão de outras ou mesmo delegar mais tarefas para de fato poder ir atrás do meu sonho – ser mãe.

Também percebi como posso ajudar outras pessoas contando um pouco da minha história, das coisas que aprendi, ou mesmo confortando em situações pelas quais já vivi. E descobri como isso também me faz bem.

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram. Estou encerrando um ciclo, mas não por causa do orgulho, por incapacidade, por soberba, ou mesmo por falta de amor,  mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na minha vida.

Então outro ciclo se inicia, com novos projetos e objetivos, e com isso surgem novas experiencias. Uma readaptação nem sempre é um processo fácil, visto que dispensemos muita energia emocional na reorganização do “caos” interno. Por outro lado, esse é também um momento rico para iniciarmos o precioso movimento de auto avaliação e para revalidar o lugar que ocupamos ou que desejamos ocupar no mundo.

A vida não se resume à um lugar, à uma pessoa... Olhando para o mundo. Há milhares de lugares. Milhares de pessoas. E incontáveis chances para ser feliz, então por que não tentar?!

 

Recife, 18 de Setembro de 2019

   A vida é superação. Todos os dias encontramos pedras no caminho e para remover as pedras temos que plantar flores. Para plantar flores é preciso ter fé e acreditar em dias melhores. É preciso acreditar que nós devemos e podemos evoluir. Após meu diagnostico em 2015, a vida me impôs desafios diários de superação.

    Nós somos o que sentimos, o que vivemos e o que pensamos. E nada é imutável. Muito pelo contrário, circunstâncias geram mudanças... mudados nossos pensamentos, sentimentos, hábitos, ideais, projetos, sonhos, perspectivas.

    Em abril de 2019 fiz um novo check up com equipe médica de São Paulo. Definitivamente não tenho mais confiança em certas especialidades profissionais em Recife. E pelo visto erros continuam a ocorrer, são gerados pelos mesmos profissionais em outros pacientes. Escuto constantemente relatos e mais relatos de abordagens ou sugestões de procedimentos equivocados. Se é alguém conhecido que de repente conseguimos indicar outras opções, estas pessoas se surpreendem com tamanha diferença de atendimento, diagnostico e mesmo do tratamento sugerido. Infelizmente muitas mulheres ainda vão ser vitimas de procedimentos errados ou de uma espécie de tortura psicológica sem precedentes para que realizem certos procedimentos muitas vezes incorretos.

    Sobre os exames?! Estão ótimos. Meu câncer não foi gerado por nenhum tipo de mutação como me convenceram em 2015, então o acompanhamento pode ser anual.  Não preciso mais de hormônio terapia, o tal do Tamoxifeno, que dá um monte de efeito colateral, pois como um dos médicos falou “meu procedimento foi um tiro de canhão num mosquito”. Filhos?! Já posso voltar a planejar e sonhar com eles, mas a partir do fim do ano, pois antes preciso voltar ao hospital para nova cirurgia de reconstrução, uma vez que a minha tem inúmeros erros que precisam ser corrigido, e é uma cirurgia em etapas, onde a primeira etapa é refazer todo procedimento, o que leva em torno de 8 horas de cirurgia, então vou começar a me organizar para a realizar todos esses procedimentos no segundo semestre de 2019, para que depois dessa questão resolvida, ai sim possam vir os filhos...  e mais mudanças de vida e na vida.

    Depois de muitas quedas esses últimos anos, eu descobri que, às vezes, quando tudo dá errado, acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo. Depois de um tempo parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.  Desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Isso me mantém no presente, que é onde a vida acontece. 

    Gosto muito de textos de Martha Medeiros, e esse trecho é um exemplo de que o que importa é o presente, e que não devemos nos cobrar para sermos perfeitas:

Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado algumas vezes por semana, decido o cardápio das refeições, telefono para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados à minha profissão e ainda faço as unhas!

E, entre uma coisa e outra, leio livros. Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic. Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres. Primeiro: a dizer NÃO. Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.

Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero. Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros. Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho. Você não é Nossa Senhora. Você é, humildemente, uma mulher. E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante.

Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável.

Vida interessante é ter tempo. Tempo para fazer nada. Tempo para fazer tudo. Tempo para dançar sozinha na sala. Tempo para bisbilhotar uma loja nova. Tempo para sumir dois dias com seu amor. Tempo para uma massagem. Tempo para ver a novela. Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza. Tempo para fazer um trabalho voluntário. Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto. Tempo para conhecer outras pessoas. Tempo para voltar a estudar. Tempo para engravidar. Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado. Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir. Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.

A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem. Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si. Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo! Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente. Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela. Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C. Mas, se você ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores. E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante”

 

    Com certeza  precisei desacelerar bruscamente, buscar novas metas, objetivos e valores desde o diagnostico que recebi, mas apesar do baque que foi a noticia e os primeiros momentos, isso gerou mudanças, e uma delas foi de parar de me cobrar perfeição em tudo e ter que ter tempo para tudo. Hoje eu penso que minhas vontades e desejos vem em primeiro lugar, meu tempo é direcionado de forma diferente. Todo dia um passo, um aprendizado e uma superação.

    Vem por aí mais um desafio, outra cirurgia de grande porte, pôs operatório, expectativas etc. No entanto me sinto mais fortalecida para encarar novos desafios impostos pela vida.

 

Recife, 28 de Abril de 2019

 

Sobre reportagem alertando sobre proteses

 

      Recentemente surgiram reportagens associando uma determinada marca de proteses mamarias com problemas de ruptura ou mesmo relacionando a surgimento de casos de outros tipos de cancer,  o que deixa todas as mulheres portadoras de protese, seja por estetica ou tratamento em alerta, entao segue uma nota oficial sobre o tema: